segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

Baseado em fatos reais 4 – Capítulo II – (Você Decide)

Em meio ao som alto e tanta gente, Júnior não conseguia uma aproximação direta. Ele então chama o Prof. Bêra no canto e fala baixinho.

[Júnior] Aê Bêra posso pedir um favor de brother? Mas é sigiloso.
[Bêra] Claro rapaz, diz aê.
[Júnior] Deixa eu treinar com essa mina ai. Tipo ficar dando a "seg" dela, entrar nos mesmos boulders... Quebra essa pra mim? Tô na seca fii.
[Bêra] Hahaha. Vou quebrar seu galho porque eu gosto de você. Mas aê se prepara então pq tu já treinou hoje. Vai acabar se lesionando!
[Júnior] Nem esquenta. Valeu leke, brigadão. Quando eu tiver um filho tu vai ser o padrinho hehehehe
[Bêra] Não exagera. Aê Dalila, o Júnior vai fazer o mesmo treino que você, é bom que ele te dá uma seg porque eu tenho dois alunos novos aqui. Pode ser?
[Dalila] Sem problema! Já terminei o aquecimento passa o boulder aê. Como é mesmo seu nome?
[Júnior] É Júnior, mas pode me chamar de Sharminha!
[Dalila] hahahaha! Você até sabe fazer piadas, quero ver escalar!
[Júnior] (Vou passar uns mais ou menos para ela não mandar e eu atropelar e fazer meu filme). Tem esse aqui. Sai sentado, aqui, aqui, ali, pinça, abaulado e o chifre no teto.
[Dalila] Beleza. Vou entrar!
[Júnior] Vai que eu estou na seg.
[Dalila] Só isso.

A cada boulder que passava Júnior além de mais encantado ficava mais assustado. A mina mandava todos os seus boulders à vista e ainda por cima entendia muito de música, já havia viajado o Brasil escalando e até no Valle Encantado-Argentina. Já ficando sem palavras e sem repertório de boulders ele se lembra de um boulder sinistro que nem ele nem os marmanjos do seu horário mandaram.

[Júnior] Aê tenho um especial pra você, mas se prepara que é bem forte.
[Dalila] Até que enfim, eu já tava ficando enjoada dessa moleza.
[Júnior] Aqui. Sai sentado com esse único pé e essa mão, abauladão, monodedo, regletinho, batente, bidedo, aresta e termina no teto do outro lado da pilastra.
[Dalila] Esse tá bem legal. Você mandou?
[Júnior] (que na verdade não fez nem a saída): Quase. Cai ali na aresta, mas eu já tava de final no treino de resistência.
[Dalila] Sei, tá cheio de desculpa. Quer apostar que eu mando?
[Júnior] Carai véi, cadê a humildade?
[Dalila] Estou brincando! Mas aposto que você não manda.
[Júnior] O que é que eu ganho se mandar?
[Dalila] Além da lesão? Uhauhauhauhahua
[Júnior] Fala sério. Vamos fazer o seguinte: Se eu mandar você vai ter que desistir de ir para Cocalzinho amanhã a noite.
[Dalila] Oxi? O quê que tem a ver?
[Júnior] Simples. Se eu mandar amanhã à noite você sai comigo.
[Dalila] E se você não mandar e eu mandar?
[Júnior] Eu mesmo te levo para Cocal no meu carro, banco a gasolina e ainda levo lanche para você.
[Dalila] Propostinha sem vergonha essa sua, mas eu topo. Vai ser ótimo ir de motorista até Cocal e com comida grátis.

Júnior se posiciona; se ergue tremendo e já sentindo o cotovelo, tapa no abaulado, força, suor. A galera em volta gritando kamoonnn!!! Vai leke! Ele pega no monodedo! Engole o choro! Trava no reglete, sobe o pé, alcança o batente. Sólido! Vai leke que já é seu!!! Dinâmico para o bidedo! Tá quase lá! Chega na Aresta. Deixa o corpo cair de lado! Trava e vai, vai, vai... E o inevitável acontece. Queda!!! Dor, revolta, humilhação.
Dalila dá um tapinha nas costas dele e pede a seg. Ela se posiciona e se ergue bem, tapa do abaulado, um sorriso. Pega no monodedo. A galera de boca aberta nem grita. Faz um "foot hook" alcança o reglete e trava. A galera vai à loucura! Gritos de Kamonnn!!! Vai, vai, vai... Meu Deus que mina forte. Chega ao Batente, dinâmico pro bidedo. E como num passe de mágica ela cai sobre os braços de Júnior.

[Dalila] Droga, errei o bidedo, viajei. Merda!!!
[Júnior] Nem estressa você fez a melhor entrada que eu já vi nesse boulder. Ninguém fez esse foot ali. Sua leitura é perfeita.
[Dalila] Se fosse perfeita eu tinha mandado.
[Júnior] Calma ai, não chora não! Você tá parecendo o Patxi Usobiaga hehehe!!! Escalada é diversão! Você é muito competitiva.
[Dalila] Você tem razão, ando meio "psica*". Mas e a nossa aposta, ninguém ganhou.
[Júnior] Pois é. Mas vou valorizar sua entrada. Amanhã podemos ir junto para Cocalzinho, mas o rango você compra.
[Dalila] Fechado, vou avisar a minha galera.


Momento "Você Decide" do AVPAF

Caro leitor(a) o AVPAF inaugura um novo momento na vida de Júnior onde você decide o destino de nosso infante escalador. O momento é crítico, Júnior investiu toda sedução que conhecia e cabe a Dalila a decisão seguinte. A pergunta é inevitável: - Dalila deve ou não ficar com Júnior em seu primeiro encontro?

(a) Dalila não deve ficar com Júnior nesse "encontro" e em nenhum outro, pois o mesmo demonstrou não ser um escalador forte a sua altura e ela já enxerga seu futuro equipando vias e abrindo boulders de grau inferior para ele poder escalar.

(b) Dalila não deve ficar com Júnior neste momento, afinal bate e volta em Cocalzinho não é um encontro decente e escalador que é escalador gosta de dificuldades e perde o interesse se mandar à vista. Ela deve se fazer de difícil!!!

(c) Dalila deve ficar com Júnior e dar vazão à sua energia juvenil, a seus impulsos hormonais feministas e revolucionários afinal um bom partido como Júnior não se encontra a qualquer hora.


Você escolhe o final votando nos comentários!!!


*Psica = Estado mental semelhante a mania ou transtorno obsessivo onde o escalador fica fissurado em mandar tudo o que vê.

6 comentários:

Rodrigo Genja disse...

Eu voto na alternativa "C" !!

Angelo! disse...

Opa, vou de 'B'.
Tá maneira a história...

Antonio disse...

Vou de B

Patricia disse...

POXA, ELA NÃO VAI DAR UMA DE MARIA SAPATA NÃO, DALILA É GENTE BOA! ENTÃO A LETRA "A" JÁ TÁ FORA!!
SOU MAIS A FAVOR DO "C" POR N RAZÕES MAS CONCORDO COM O ANGELO.. VOU DE "B" SÓ PRA VER ONDE ESSA HISTÓRIA VAI DAR...
TO CURIOSA!!!!
FLW

Rodolfo disse...

Vou de "b" pq me identifico com esse bisonho.
kkkkkkkkkk

Roger disse...

Mando de "B" tbm. Deixa o play na seca mais um pouco e vamo vê se o Migué do mulek e forte mesmo.