sexta-feira, 30 de abril de 2010

ADEGA AVPAF – Sofisticação e Requinte no Climb

Aproveitando o momento enólogo (para não dizer alcoólatra) da equipe do AVPAF andei pensando se poderíamos tecer comentários sobre boulders e vias com a mesma elegância que os rótulos das garrafas de vinho (afinal quem escreve aquilo ou tem muita criatividade ou tem papilas gustativas mutantes, pois eu só sinto o gosto de uva).

O AVPAF apresenta suas últimas degustações de sua adega.

GOIÁS E REGIÃO

Boulders de Cocal (Cocalzinho de Goiás-GO): Essa linhagem de boulder tem uma textura marcante do Quartzito predominante na região de Cocalzinho-Goiás. O alto teor de quartzo produz boulders bem encorpados, secos, movimentos definidos com bom desenvolvimento e finais marcante. Nota-se os tons de suor, lágrimas e um leve sabor de sangue no final tendo como acompanhamento preferencial Esparadrapos e crashpads. Graduação alcoólica de V0 a possíveis V14 dependendo do vinhedo (setor).

Vias da FERCAL (Brasília-DF): Essas vias se caracterizam pela variedade de textura e disposição de agarras causadas pelo efeito das intempéries sobre o Calcário, sabores predominantes de regletes e lacas. O clima seco e a altitude permitem o desenvolvimento desta linhagem característica do Planalto. Pela variedade são servidos com proteções fixas ou móveis. Graduação alcoólica variando de 4º a 9º.

Vias do Belchior (Água Fria de Goiás-GO): Essa localidade possui tradição renomada na produção de vias de alta complexidade de sabores e movimentos. A coloração cinza, predominante do Calcário, apresenta o diferencial da formação de agarras lancinantes com predomínio dos sabores pinça e regletes. Deve ser servido com sapatilhas resistentes, proteções fixas ou móveis e bastante repelente. Graduação alcoólica variando de 5º a 10º.

PARANÁ

Boulders do Anhangava (Quatro Barras-PR): Essa região produz boulders com um terroir diferenciado marcado pela ausência de agarras. O clima frio marcante da região paranaense favorece a aderência e a sofisticação desses boulders, sobretudo os do Vinhedo Castelinhos. Apresentam movimentos lentos, com um desenvolvimento forte e um final de difícil compreensão. São boulders exigem como acompanhamento Magnésio, sapatilhas flexíveis e crashpads.

SANTA CATARINA

Vias de Corupá (Corupá-SC): Vias sofisticadas, fortes, de textura acentuada com predomínio da variedade Conglomerado. A umidade da região exige o acompanhamento de muito Magnésio e proteções fixas. Sabores marcantes de abaulados, mono e bidedos.Graduação alcoólica variando de 5º a 10º.

3 comentários:

Júlio Sá disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Júlio Sá disse...

Nobre colega, há que se atentar, no caso das vias de Belchior, que percebe-se um acentuado toque herbal, devido ao vasto campo de urtigas na região do vale!

bode disse...

Hehehehe!!

Boa, vale lembrar também que dependendo da qualidade da via (Fercal ou Belchior) existe um leve sabor de fezes secas de Urubus e leves toques de abelhas (leve nada, dói pacas!!!)

Leandro