sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Fast Trip - Rio de Janeiro

Mesmo apanhando do computador politicamente correto da Grazi (linux), resolvemos escrever um breve relato do inicio de nossa fast trip pelo Rio de Janeiro. Chegada no aeroporto com meia hora de atraso, Grazi e Leandro nos buscam e ao entrar na sala do apartamento damos de cara com o Doença (Pedro Raphael) que estava pelo RJ escalando. Conversa vai, conversa vem Leandro me convida para jogar PS3 e eu como bom viciado em jogos aceito. Rapidamente Pati e Grazi vão dormir e o Doença se "emputece" e resolve ir tomar um chopp no Devassa (devia ser meia noite) seguido rapidamente pelo Leandro. Como eu estava na pilha de escalar no dia seguinte fui dormir.

Café da manhã digno de hotel, com pão novo e quentinho. Muita conversa na mesa e meu primeiro acidente. Quebrei a xícara de porcelana colonial da Grazi. Saímos eu e Pati com um crash dos grandes, pegamos metro, taxi e em meio a muita gente na rua chegamos na Urca. Munidos do guia de escalada da Urca (por sinal uma belíssima publicação) fomos em busca dos boulders do local. Já na pista Cláudio Coutinho ficamos apreciando as belezas e potencialidades do RJ para escalada. Chega a ser sacanagem com o resto do pais, os cariocas tem praias maravilhosas, montanhas e falésias para todo tipo de escalada e como se não bastasse existem blocos com problemas muito bons. Paramos no bloco do 800 que nos pareceu uma boa ambientação já que estávamos sozinhos. Entramos em dois VIsup um deles da nome ao bloco que saíram com certa facilidade (tirei onda hehehe) porém a decida era complicada e pensei em pular no crash mas fui aconselhado por um passante a descer pela rampa cheia de lodo que dava acesso a outra pedra pois o jump seria de aproximadamente 3 metros. Decidimos malhar dois problemas mais fortes Arestim (VIIc) e Buraco Negro (VIIa). Patricia evoluiu bem no Arestim mas não rolou de passar o crux, eu fiz algumas boas entradas caindo no meio do Buraco Negro e não decifrei nada do Arestim. Os problemas daqui são completamente diferentes de tudo o que já escalamos, com muito equilíbrio, poucas agarras de mão e muita exigência nos pés. Vale a pena demais escalar boulder na Urca principalmente para os iniciantes pois é fácil de achar e a base é incrível.

Escalamos por mais de 2 horas e decidimos almoçar e fazer o turismo básico. Subimos de bondinho ao Pão de Açúcar e podemos apreciar a beleza que só o RJ tem. Já em casa eu e Leandro aderimos novamente ao PS3 e de repente percebemos que as meninas estavam demorando a trazer o rango. Na verdade elas estavam no Bar Devassa, enchendo a cara e quando chegamos haviam atualizado as conversas nos restando falar mal do Batata por algum tempo. Hehehehe!

Hoje o role vai ser num SPA ( sol, praia e álcool) seguido de mais boulders no fim de tarde. Antes que vocês xinguem, o fim de semana sera regado de escaladas tradicionais onde eu e a Pati seremos iniciados nesse estilo de escalada. Detalhe ontem fez sol e hoje o dia ta lindo.

Abração galera, as fotos mandamos mais tarde quando a Grazi chegar para operar essa tranqueira. Hehehehe!


4 comentários:

Alvaro Alvares disse...

Porra de VIIa, VIIc coloca graduação de Cocal!

Grazi disse...

Po.... não fala mal do meu tranqueirinha... rs... :)

Rodolfo disse...

Caracas Esdras, mandando 7c e tudo hein?! rs.
Isso mesmo casal, mostra o estilo de escalada cocalibitinhese para esse povo aí!!!

Patricia disse...

Alvaro, para de ser chato.. o croqui fala VIIa, então nóis coloca VIIa porra! heheheh